Bitcoin bate recorde histórico e atinge a marca de US$ 60 mil

Segundo analistas, criptomoeda sobe devido à expectativa de aumento de compra por pequenos investidores, que receberão recursos de plano americano

Foto: Reprodução

O último sábado foi bem mais feliz para quem tem bitcoins na carteira. O bitcoin, criptomoeda mais famosa no mundo, bateu recorde histórico neste sábado (13), ultrapassando o patamar de US$ 60 mil pela primeira vez — o equivalente a R$ 333,8 mil. Às 16h (horário de Brasília), o bitcoin era cotado a US$ 60,174.92, em alta de 5,10%.

O recorde anterior era de 21 de fevereiro, quando a moeda chegou a valer US$ 58 mil. Para os analistas, a criptomoeda está subindo em razão da iminente chegada de recursos dentro plano de estímulo norte-americano assinado por Joe Biden, que aumentará as chances de investidores adquirirem bitcoins e reduzir os riscos financeiros.

O valor atingido é o triplo do registrado em dezembro, quando a criptomoeda era negociada a US$ 20 mil. Grandes investidores também reforçam os movimentos de alta da moeda digital, como o Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, que comprou US$ 1,5 bilhão – cerca de R$ 8 bilhões – em bitcoins em 8 de fevereiro deste ano.

Por outro lado, alguns analistas alertam que o bitcoin ainda está longe de se tornar uma forma de pagamento amplamente usada. Mark Haefele, diretor de investimentos do UBS Global Wealth, aconselha os investidores a não verem isso como um momento dominante para a criptografia e a agir com cautela antes de se envolverem em especulações.