Anatel aprova edital para leilão do 5G no Brasil

Agora, o governo deverá definir o preço dos lances dos blocos que serão leiloados

Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou o edital para o leilão do 5G no Brasil. Agora, o governo deverá definir o preço dos lances dos blocos que serão leiloados. A expectativa é de que isso ocorra ainda no primeiro semestre de 2021. Para tanto, o Tribunal de Contas da União (TCU) precisa analisar a oferta em até 150 dias.

A maioria dos itens da proposta original foram mantidos, incluindo a construção da rede privativa para uso do governo. O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que as empresas que vencerem o leilão das faixas de frequência do 5G no Brasil terão de implantar a tecnologia até julho do ano que vem. Antes, o prazo era até 31 de dezembro.

4 faixas de frequência

  • 700 MHz: servirá para melhorar cobertura de 4G e, futuramente, distribuir 5G;
  • 2,3 GHz: servirá para melhorar cobertura de 4G e, futuramente, distribuir 5G;
  • 3,5 GHz: 5G “puro” voltado para o consumidor final;
  • 26 GHz: 5G “puro” voltado para a banda larga fixa.

Investimentos

As operadoras candidatas ao leilão terão que investir na instalação de redes 4G em todos os municípios com mais de 600 habitantes (cerca de 500), no roaming nacional obrigatório (clientes de uma empresa serão conectados ao sinal disponível, de qualquer operadora) e na cobertura de 48 mil quilômetros de estradas com internet de alta velocidade.

A frequência de 3,5 GHz é mais usada para o 5G no mundo e oferece conexão rápida para o consumidor final. Por isso, o leilão prevê obrigações específicas para quem levar essa faixa, como expansão de 13 mil quilômetros de cabos de fibra ótica nos leitos dos rios da região Norte, rede privativa de comunicação 5G para a administração federal, com requisitos de segurança mais robustos e criptografia, e “limpeza” da faixa de 3,5 GHz, atualmente responsável pela transmissão de TV via parabólica.

Sobre o 5G

A tecnologia 5G é a quinta geração das redes de comunicação móveis. Ela promete velocidades até 20 vezes superiores ao do 4G, com maior consumo de vídeos, jogos e ambientes em realidade virtual. Será a maior licitação de espectro da história do Brasil.

Além de garantir mais velocidade de conexão para os usuários, a internet 5G vai garantir um salto tecnológico para grandes fábricas e empresas. A tecnologia permitirá a operacionalização de todos os sistemas das empresas, e a interação, de forma eficiente, de diferentes objetos inteligentes, como monitores de TV, redes de inteligência artificial, robôs em fábricas com comandos de centrais de processamento e eletrodomésticos inteligentes.

O ministro afirmou que é um marco para o desenvolvimento do país. Para ele, o 4G foi feito para as pessoas, veio com áudio e vídeo, já o 5G vem para as empresas e para as indústrias, que darão um salto de velocidade jamais visto. Não é apenas um salto na velocidade, mas uma conexão de toda a empresa e de todos os serviços, declarou Faria.