Demanda de voos domésticos registra queda nos primeiros dias do ano, aponta Anac

Em 31 dias, foi registrada queda de 27,5% na demanda de voos domésticos

Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Aviação (Anac) registrou, em janeiro deste ano, queda de 27,5% na demanda de voos domésticos, medida em passageiros por quilômetros pagos (RPK), em comparação com janeiro de 2020. Apesar da retração, foi o melhor resultado em 10 meses, o que aponta uma progressiva recuperação do mercado aéreo brasileiro.

De acordo com a agência, foram transportados 6,09 milhões de passageiros no primeiro mês do ano — 34,2% menor que em janeiro de 2020 —, sendo o melhor cenário desde março do ano passado, quando foram anunciadas as primeiras medidas de isolamento social e decretado o fechamento de fronteiras devido à pandemia de Covid-19.

A oferta de assentos caiu 24,2% na mesma base de comparação, enquanto o índice de ocupação das aeronaves foi de 81,7%, resultado 4,4% menor que 2020. O volume de carga transportada em voos domésticos também caiu, as 28.213 toneladas de mercadorias embarcadas representa um resultado 18,2% inferior ao mesmo mês do ano anterior.

Já a divisão de mercado entre as companhias foi quase igualitariamente dividido em janeiro, com expressivo crescimento da Azul. No ranking do market share do mercado doméstico de janeiro, o primeiro lugar é ocupado pela Gol, que registra 38,7%, seguida da Azul, com 30,6% e, por último, a Latam, com 30,2%.

Cenário internacional

O mercado internacional registrou queda de 81,9% em janeiro de 2021, em relação ao mesmo período de 2020, na demanda por voos para fora do país. Com um cenário crítico, a oferta de assentos em viagens para outros países foi 70% menor, resultado da quase total paralisação de entrada de estrangeiros em diversos países.