Auxílio emergencial deve ter quatro parcelas de R$ 250 em nova rodada

Pagamento pode voltar em março, mas ainda está sendo debatido com Câmara e Senado

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, durante sua live semanal nas redes sociais, afirmou que o governo estuda pagar quatro parcelas de R$ 250 na nova rodada do auxílio emergencial, que deve ser retomado em março. O retorno do benefício é debatido pelo governo desde dezembro do ano passado, quando foi paga a última parcela. 

Bolsonaro já havia falado em estender o auxílio emergencial, mas ainda não havia comentado o valor da nova fase, mas ressaltava que seria impossível retomar o patamar de R$ 600 registrado no início do programa. O benefício, segundo ele, deve começar a ser pago ainda em março, por um período total de quatro meses. 

À princípio, o auxílio, contou com parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil (para mães que são chefes de família), por mês, para cada beneficiário. Projetado para durar três meses, o benefício foi estendido para um total de cinco parcelas. Em setembro, foi liberada a extensão do benefício, de R$ 300 e R$ 600, com o pagamento de quatro parcelas mensais.

A expectativa, segundo o presidente, é que os quatros meses complementares de auxílio, em 2021, possam fazer a economia “pegar de vez”. Contudo, na transmissão, não foi informado de onde virão os recursos para custear a nova rodada e nem como esse gasto será encaixado no orçamento e nas metas fiscais de 2021.

A renovação, como forma de conter os efeitos da pandemia de Covid-19 sobre a população mais pobre e os trabalhadores informais, ainda precisa ser proposta pelo governo ao Congresso Nacional e, em seguida, aprovada pelos parlamentares. O presidente disse que o assunto ainda está sendo discutido e não informou data para bater o martelo.