Consulta no Google por vagas é a menor em 7 anos; busca por bolsa família sobe

A pesquisa mostrou também que as consultas pelo termo "auxílio emergencial" foram o dobro do registrado pelo termo "vagas" neste início de ano

Foto: Reprodução

As buscas pelo termo “vagas” no Google, em janeiro e fevereiro deste ano, estão no menor patamar para o período desde 2014, ao mesmo tempo que as pesquisas por “Bolsa Família” e “cesta básica” são as maiores para os referidos meses desde 2004. Os dados foram levantados pela empresa por meio da plataforma Google Trends.

Na comparação com janeiro de 2020, a consulta por “vagas” teve queda de 21%, aponta a pesquisa. Em fevereiro, até o dia 15, a queda foi de 15% em relação ao mesmo período do ano passado. No início de 2021, o interesse pelo termo “vagas” também ficou 18% abaixo da média registrada entre 2014 e 2020, considerada uma queda significativa.

A companhia explica que o início do ano é o período em que as pessoas mais buscam por vagas no Google. Marco Túlio Pires, diretor do Google News Lab no Brasil, afirma que não há como dizer por que houve essa queda com base apenas nos dados do Google Trends, mas diz que “as pessoas não voltaram a buscar por vagas com a mesma força que fazem todo janeiro, independentemente do contexto do país”.

Por outro lado, janeiro e fevereiro registraram um aumento da busca pelos termos “Bolsa Família” e “cesta básica” no Google, chegando aos maiores níveis para o período desde 2004. A pesquisa mostrou também que as consultas pelo termo “auxílio emergencial” foram o dobro do registrado pelo termo “vagas” neste início de ano.

Outros termos relacionados a empregos também tiveram queda neste início de ano. As consultas por “currículo” em janeiro chegaram a seu menor nível desde 2016. A busca pelo programa “Jovem Aprendiz” caiu ao menor nível para janeiro desde 2013.