Empresas comprovam bons resultados adotando sistema híbrido durante a pandemia

A empresa de tecnologia da informação, Safira Soluções & Tecnologia, reduziu a ida dos funcionários ao escritório para duas vezes durante a semana

Foto: Reprodução

Com a chegada da pandemia, a forma de trabalho de milhares de brasileiros precisou mudar, empresas que antes tinham sua equipe 100% presente, precisaram se adaptar ao modelo híbrido. Esse é o exemplo da Safira Soluções & Tecnologia, empresa de tecnologia da informação criada por Sonaira San Pedro e Fernando Valente.

Se antes a ideia era que o trabalho só dava resultados com a equipe em escritórios, atualmente é possível perceber que as mesmas funções podem ser realizadas em casa com a mesma qualidade ou até melhor. A necessidade de mudanças em meio à pandemia quebrou a regra de que só o escritório pode gerar lucro e desenvolvimento para a empresa.

Tirar o melhor de cada um

San Pedro explica que, assim, eles conseguem tirar o melhor de cada um. Segundo ela, é melhor quando está no escritório e fazer um trabalho mais focado com quem está presencialmente, mas quando é necessário fazer atividades analíticas, como relatórios, por exemplo, estar em casa sem interrupções na maioria do tempo é melhor.

A ida ao escritório foi reduzida para duas vezes na semana. Os funcionários que estão trabalhando em home office tem acesso à internet e cadeira ergonômica fornecidas pela empresa. As novas mudanças também já mostraram resultado nos custos do escritório.

Melhor balança entre as necessidades da empresa

A professora do Insper, Tatiana Iwai, diz que o sistema híbrido mantém melhor a balança entre as necessidades da empresa e a saúde do funcionário. Segundo ela, todos os benefícios em termos de redução de custos e de flexibilidade para o colaborador são alcançados. Por outro lado, eles conseguem minimizar algumas das desvantagens trazidas pelo modelo totalmente remoto. O face a face é um fator motivacional importante.

Se engana quem pensa que o home office é mais fácil ou dá abertura à ociosidade. Para acompanhar de perto, os empresários colocaram ponto eletrônico para registrar o período de trabalho de cada um. San Pedro explica que, muitas vezes, um funcionário é mais produtivo fora do horário comercial, mas a legislação trabalhista não permite.

Receio com a queda de produtividade

Para Iwai, faz sentido que os líderes de cada time consigam estabelecer algumas regrinhas em relação ao momento em que as pessoas precisam estar on-line, dar uma certa previsibilidade de modo que ajude o colaborador a estabelecer essas linhas.

Ela acrescentou ainda que um dos grandes receios que havia com o home office é que haveria uma queda de produtividade. E, no fundo, o que o cenário pandêmico nos ensinou, é que esse receio acabou não se traduzindo em realidade. Pelo contrário, as pessoas estão até trabalhando mais, havendo sim um aumento de produtividade.