WhatsApp solicita aval do Banco Central para realizar transações financeiras no aplicativo

Se for aprovado, aplicativo poderá oferecer envio e recebimento de dinheiro que foi barrado em 2020

Foto: Reprodução

O WhatsApp está em negociações com o Banco Central (BC) para ser aprovado como “iniciador de pagamentos”, de modo que seja possível habilitar o seu sistema de transações financeiras no aplicativo, segundo o jornal O Estado de S.Paulo. Criada em 2020 pelo BC, a modalidade pode ser a brecha para que o aplicativo entre de vez neste mercado.

O prestador de serviço de iniciação de pagamento (Pisp) não participa do fluxo financeiro. Uma empresa que tem o aval para operar como Pisp não teria acesso direto aos volumes financeiros transacionados e seria apenas uma interlocutora entre os usuários.

Primeira tentativa

O envio e recebimento de dinheiro pelo WhatsApp foi anunciado em junho de passado, com o Brasil sendo um dos primeiros países a testar a opção. Contudo, uma semana depois, o BC e o Cade suspenderam a solução, alegando a necessidade de avaliar questões de competição e privacidade para garantir um funcionamento adequado.

Roberto Campos Neto, presidente do BC, declarou em novembro que a solução de pagamentos começaria a funcionar “em breve” e priorizando as transferências entre pessoas físicas. Já Paulo Caffarelli, presidente da Cielo, afirmou durante teleconferência de resultados em janeiro de 2021 que a aprovação está muito próxima. 

Como deve funcionar

Com o novo serviço, consumidor dá uma ordem para que a instituição financeira em que é correntista realize o pagamento diretamente ao lojista, sem a necessidade de acessar o aplicativo, com débito em sua conta de depósito ou de pagamento.

Um exemplo dado pelo BC é o de pedido de comida por aplicativo. Em uma operação tradicional, o cliente teria de pagar pelo próprio aplicativo ou utilizar o cartão de crédito ao receber o pedido. Com a nova modalidade, o aplicativo pode conectar o consumidor a um único iniciador de transação de pagamento e ele poderá solicitar à instituição financeira que transfira o recurso diretamente para a conta do restaurante.