China reforça laços comerciais com União Europeia e tira Estados Unidos de cena

Resultado reflete aumento das importações europeias da China e das exportações UE para o país asiático

Foto: Reprodução

Em 2020, a China reforçou os laços comerciais com a União Europeia (UE) e tirou dos Estados Unidos o posto de principal parceiro de comércio do bloco. No ano passado, a corrente de comércio — soma de exportações e importações — da UE com a China totalizou 586 bilhões de euros, contra 555 bilhões com os EUA. 

De acordo com a Eurostat, a agência de estatísticas da UE, as posições mudaram em razão do aumento das importações (+5,6%) e exportações (+2,2%) para a China. Ao mesmo tempo, o comércio com os EUA registrou queda significativa tanto nas importações (-13,2%) como nas exportações (-8,2%). Em 2019, o comércio bilateral tinha somado 561 bilhões de euros com a China, ante 617 bilhões de euros com os EUA.

Recuperação econômica

A mudança se dá à rápida recuperação da economia chinesa, que foi menos afetada pela pandemia de Covid-19 do que a de seus parceiros ocidentais. Após sofrer durante o primeiro trimestre de 2020, com duros bloqueios nacionais que suspenderam grande parte das atividades comerciais, a economia chinesa se recuperou com força vital.

No final do ano, o aumento do consumo impulsionou as vendas europeias, em particular de automóveis e produtos de luxo. Enquanto as exportações da China para a Europa se favoreceram de uma forte urgência por equipamentos médicos e produtos eletrônicos. Com isso, o déficit comercial da UE com a China passou para 219,4 bilhões de dólares negativos.

Neste cenário, a UE registrou um crescimento econômico forte em relação ao resto do mundo em 2020, com um superávit comercial de 217 bilhões em relação ao resto do mundo. Os mais beneficiados foram os 19 países da zona do euro. Apesar disso, o Eurostat estima que o Produto Interno Bruto (PIB) da região sofreu contração de 6,8% em 2020.

Terceiro maior parceiro

O Reino Unido, que deixou de fazer parte da UE, é agora o seu terceiro maior parceiro comercial. Contudo, as exportações europeias para os britânicos registraram uma queda de 13,2% no ano passado, enquanto as importações caíram 13,9%.