SpaceX busca atingir 5 milhões de usuários para a internet Starlink

Por enquanto, 10 mil usuários estão utilizando a internet de satélite

Foto: Reprodução

A SpaceX, companhia que tem à sua frente Elon Musk, iniciou a expansão de internet por meio de satélites com o objetivo de alcançar 5 milhões de conexões. Por enquanto, contudo, só 10 mil usuários tiveram acesso, apenas nos Estados Unidos. Os números são bons, mas para ter uma resposta lucrativa, a rede precisa alcançar pelo menos 3 milhões de assinantes, meta que vem sendo buscada desde o lançamento dos satélites.

700 mil cadastros

Para utilizar o serviço, é necessário realizar um cadastro antes. Os Estados Unidos já alcançaram a marca de 700 mil pessoas inscritas. A ordem é instalar pelo menos mil antenas em residências para atender toda uma demanda, processo que já foi autorizado pela Comissão Federal de Comunicação (FCC, na sigla em inglês).

Com a liberação do FCC, passa a valer a licença para habilitar 1 milhão de terminais. Após autorizar 1 milhão de terminais, a SpaceX entrou com pedido um novo pedido de expansão de terminais que já foi encaminhado à Confederação. A iniciativa foi baseada na possibilidade da empresa receber, futuramente, um maior número de inscrições.

A FCC recebeu o pedido para expandir o alcance para 5 milhões de clientes. Por enquanto, o serviço está em fase beta, com 700 mil solicitações, oferecendo uma média de Mb/s (megabits por segundo) na taxa de download. À princípio, o objetivo é chegar a 1 Gb/s (gigabit por segundo) e, em uma fase posterior, em 10 Gb/s.

Assinatura mensal por US$ 99

Nos Estados Unidos, o pacote de assinatura mensal custa US$ 99 mais o kit de instalação, custando US$ 499. A questão que vem sendo levantada pelos usuários é o valor atribuído ao pacote. Quanto as reclamações de preços, a empresa alega enfrentar um problema complexo, já que internet por satélite é um serviço caro.

A SpaceX precisa investir em construção de satélites, lançamentos dos foguetes, desenvolvimento do sistema e base operacional. Diante disso, em entrevista ao Business Insider, analistas relatam que, para a rede Starlink ser viável comercialmente praticando os preços atuais, a companhia precisará ter uma base mínima de 3 milhões de clientes e de um prazo de três anos para o projeto começar a se pagar.

Apesar de começar a oferecer o serviço de internet, a SpaceX já acumula outros provedores de olho na “invasão” do serviço, a FCC já recebeu vários pedidos de reavaliação da companhia e se, de fato, ela tem capacidade para oferecer as conexões de banda larga.

Financiamento

Mesmo diante de contratempos enfrentados com o serviço e concorrentes, a companhia deve receber um financiamento de US$ 885 milhões para oferecer internet via rede Starlink a mais de 640 mil residências e empresas.