Facebook não irá mais recomendar grupos políticos para seus usuários

Mark Zuckerberg disse que sua rede social busca formas de reduzir a visibilidade do conteúdo político no feed de notícias do usuário

Foto: Reprodução

O presidente-executivo do FacebookMark Zuckerberg, anunciou que a plataforma não irá mais recomendar grupos políticos para seus usuários durante a apresentação dos resultados trimestrais da gigante das mídias sociais. A medida foi tomada há alguns meses nos Estados Unidos para reduzir as tensões eleitorais e será expandida globalmente.

Zuckerberg afirmou que decidiu parar de recomendar grupos militantes ou políticos nos Estados Unidos à medida que as eleições se aproximavam e, agora, pretende estender essa regra para todo o mundo, com o objetivo de acalmar as coisas e desencorajar conversas que dividem. O executivo acrescentou que suas equipes também buscam formas de reduzir a visibilidade do conteúdo político no feed de notícias do usuário.

O Facebook tem buscado aumentar suas medidas para tentar aprimorar a moderação de conteúdo e parar com a desinformação, mas ainda não conseguiu satisfazer muitas organizações antirracistas ou dedicadas à defesa dos direitos e liberdades em geral. Zuckerberg lembra que, em setembro, retirou mais de um milhão de grupos em um ano.

Ele afirmou que um dos principais retornos que recebeu da comunidade é que as pessoas não querem que política e brigas tomem conta de suas experiências nas plataformas. Segundo o executivo, ainda há muitos grupos para os quais a companhia não deseja encorajar as pessoas a se juntarem, mesmo que não violem nossas regras.