Após restrições a Trump, Twitter, Facebook e outras gigantes registram queda na bolsa

A maioria das principais gigantes de tecnologia teve queda nas bolsas americanas

Donald Trump, 45º presidente dos Estados Unidos (Foto: Reprodução)

Após anunciarem medidas para restringir a difusão do discurso do presidente Donald Trump e de seus apoiadores, a maior parte das principais gigantes de tecnologia registrou queda nas bolsas americanas. 

Os papéis do Twitter fecharam em queda de 6,4%, a US$ 48,19; o Facebook caiu 4,01%, a US$ 256,84; a Alphabet, dona do Google, recuou 2,24%, a US$ 1.766,72; a Amazon fechou em queda de 2,15%, a US$ 3.114,21; e a Apple caiu 2,32, a US$ 128,98.

Depois da invasão ao Capitólio por apoiadores de Trump, o Twitter disse que suspenderia de forma permanente a conta pessoal do presidente americano, citando risco de incitação à violência. Já o Facebook anunciou o bloqueio de Trump até o encerramento de seu mandato na presidência.

Apple e Google anunciaram a retirada do Parler de suas lojas de aplicativos. A rede social vinha ganhando popularidade entre os conservadores dos Estados Unidos. A Amazon encerrou no fim de semana os serviços de hospedagem de dados do Parler, o que paralisou as suas operações.