Braide anuncia que vacinação contra a Covid-19 em São Luís deve começar na próxima semana

O anúncio foi feito após uma videoconferência com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nesta quinta-feira (14)

Foto: Reprodução

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, participou, nesta quinta-feira (14), de uma videoconferência com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para tratar sobre o Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19. Em São Luís, bem como nas demais cidades brasileiras, a vacinação está programada para começar na próxima quarta-feira (20).

O início da vacinação, contudo, ainda depende da aprovação do uso emergencial dos imunizantes pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que vai anunciar o resultado das análises neste domingo (17). Pazuello disse ter adquirido 30 milhões de seringas, que serão enviadas às cidades que manifestarem interesse neste fim de semana.

Braide, que participou da reunião on-line organizada pela Frente Nacional dos Prefeitos, afirmou que a prefeitura está preparada para seguir com a imunização assim que as doses forem disponibilizadas. Ele garantiu ainda que há seringas em estoque suficiente para iniciar a vacinação e também solicitará a Saúde que envie junto com as vacinas o quantitativo necessário de seringas para seguir a vacinação normalmente.

A vacina

Pazuello informou que uma missão coordenada pela Saúde partiu para a Índia para buscar dois milhões de doses da vacina desenvolvida pelo consórcio da farmacêutica britânica AstraZeneca e da Universidade de Oxford. O lote foi fabricado pelo laboratório indiano Serum e importado pela Fiocruz. Também serão disponibilizadas seis milhões de doses da vacina Coronavac, desenvolvida pela parceria Sinovac-Butantan.

A previsão do ministério é que até o domingo, a Anvisa autorize o uso emergencial das vacinas. Havendo aprovação, na segunda-feira (18), as doses serão distribuídas aos estados e, por fim, aos municípios para que seja iniciada a vacinação na quarta-feira (20), às 10h, em todas as cidades brasileiras, segundo o ministro da Saúde.