Novas regras do WhatsApp obrigam compartilhamento de dados com Facebook; entenda

Único modo de impedir compartilhamento é encerrar a conta no WhatsApp

Foto: Reprodução

WhatsApp anunciou que passa a ser obrigatório o compartilhamento de dados de seus usuários com o Facebook, dono do aplicativo de mensagens. Quem não concordar com a mudança, conforme a notificação enviada pela plataforma, é convidado a apagar o aplicativo e desativar a conta. As mudanças entrarão em vigor no dia 8 de fevereiro

Um porta-voz do Facebook à agência de notícias AFP, declarou que a política de privacidade e as atualizações dos termos são comuns na indústria. Segundo ele, a companhia está informando os usuários com ampla antecedência para que revisem as mudanças. Os usuários deverão aceitar as novas condições se quiserem continuar usando o WhatsApp.

De acordo com informações dadas pela empresa à AFP, a nova regra prevê o compartilhamento de informações adicionais entre WhatsApp e Facebook e outros aplicativos do grupo, como Instagram e Messenger. Isso inclui dados do perfil, mas não o conteúdo das mensagens, que seguem sendo criptografadas, conforme a empresa.

No entanto, informações sensíveis, como números de contatos, atualizações de status, dados sobre a atividade do usuário — tempo de uso ou o momento em que ele está on-line, por exemplo — e foto de perfil também são passíveis de compartilhamento. A nova regra também abrange informações como número de telefone, marca e modelo do celular.

O número de IP, que indica a localização da conexão à internet e pagamento ou transação financeira realizada através do WhatsApp também serão compartilhados. O volume de downloads do aplicativo caiu 11% nos sete primeiros dias de 2021 em compração com a semana anterior, segundo a plataforma de análise de dados Sensor Tower.

A União Europeia e o Reino Unido, contudo, serão exceções. Devido a acordos firmados com organizações de proteção de dados da região, a empresa não vai impor o compartilhamento de informações — o que foi interpretado por alguns como uma vitória da rígida legislação sobre privacidade e proteção de dados pessoais que da região.

Segundo o WhatsApp, o objetivo da medida é fornecer, melhorar, entender, personalizar, oferecer suporte e anunciar os serviços da companhia. A medida gerou uma onda de críticas e provocações. O empresário Elon Musk, CEO da Tesla, sugeriu a migração para o concorrente Signal. Já outras pessoas propuseram o Telegram.