Confiança empresarial tem queda pelo 3º mês seguido, aponta FGV

Índice aponta pessimismo moderado em relação ao primeiro semestre de 2021

Foto: Reprodução

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) recuou 0,4 ponto em dezembro, para 95,2 pontos, segundo dados divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Foi a terceira queda seguida no indicador. Em médias móveis trimestrais, o ICE inverteu a tendência de alta iniciada em julho e recuou 0,7 ponto no mês.

Aloisio Campelo, superintendente de Estatísticas do FGV IBRE, afirmou que a discreta evolução do ICE em dezembro retrata o empresariado brasileiro em compasso de espera face à ainda grande incerteza em relação aos rumos da economia nos próximos meses.

O ICE consolida os índices de confiança dos quatro setores cobertos pelas Sondagens Empresariais produzidas pela FGV IBRE: Indústria, Serviços, Comércio e Construção. O Índice de Situação Atual Empresarial (ISA-E) cedeu 0,2 ponto, para 97,8 pontos, após subir por sete meses consecutivos.

Já o Índice de Expectativas (IE-E) recuou 0,3 ponto, para 94,3 pontos. Segundo a FGV, a queda do ISA-E sinaliza desaceleração do nível de atividade corrente, enquanto a manutenção do Índice de Expectativas abaixo dos 95 pontos reflete um pessimismo moderado em relação ao primeiro semestre de 2021.

O pesquisador disse que entre os fatores que pesam para os dois lados estão a ameaça da nova onda de Covid-19 no Brasil contrapondo a chegada das campanhas de vacinação em outros países e a perspectiva de uso de parte da poupança acumulada em 2020 como compensação parcial para o fim do período de concessão de auxílio emergencial.

Em dezembro, a confiança empresarial avançou em 55% dos 49 segmentos pesquisados, um aumento da disseminação frente aos 43% do mês passado. Na análise por setores, a confiança da indústria cresceu 1,8 ponto em dezembro, no setor de serviços subiu 0,8 ponto, enquanto na construção ficou praticamente estável, ao subir 0,1 ponto.