Cofundadora do Reclame Aqui fatura R$ 1 milhão com startup de atendimento ao cliente

Com consultores altamente gabaritados, o Instituto Cliente Feliz ajuda as empresas a alcançarem o próximo nível na relação com clientes

Gisele Paula, cofundadora do Reclame Aqui e fundadora do Instituto Cliente Feliz (Foto: Reprodução)

Com cursos livres, treinamentos in company, mentorias, avaliação de aplicabilidade e o desejo que as empresas prosperem através das relações humanas, a startup Instituto Cliente Feliz, criada por Gisele Paula, cofundadora do Reclame Aqui, fecha o ano com faturamento de R$ 1 milhão, perto de completar oito meses.

Toda a carreira da empreendedora foi construída com foco no atendimento ao cliente. Durante os dez anos que passou à frente da operação do Reclame Aqui, portal referência para quem quer denunciar um serviço ou atendimento mal prestado, Gisele estava diretamente envolvida na gestão do contato entre empresas e consumidores.

A executiva revela que uma das suas mais importantes atribuições era mostrar às empresas como evitar que clientes fizessem reclamações, mas, segundo ela, muitas só atuam na dor. Ela conta que pensou em como ampliar o olhar sobre a jornada de consumo, desde o momento em que o cliente pensa em comprar ou contratar o serviço. 

O Reclame Aqui só tem acesso ao processo quando o caso chega ao site, usualmente em meio a um atrito. Então, surgiu a ideia de criar uma startup com uma oferta estruturada de consultoria e acompanhamento de qualidade do atendimento ao cliente. Assim, em fevereiro de 2020, a empreendedora criou o Instituto Cliente Feliz.

Sobre a startup

Com consultores altamente gabaritados, o Instituto Cliente Feliz ajuda as empresas a alcançarem o próximo nível na relação com clientes. Na visão da executiva, 2020 provou que o maior ativo que as companhias têm é justamente o relacionamento com o cliente.

Para ela, o bom relacionamento é a matéria-prima para as empresas que desejam se manter na nova economia com um futuro sustentável. A ideia inicial era que fosse presencial, mas os programas precisaram ser todos redesenhados em meio à pandemia.

A startup atua em três frentes: cursos on-line, com conteúdo gravado de capacitação; in company, que são as aplicações de treinamentos e programas de desenvolvimento personalizados para empresas, tanto recorrentes quanto pontuais; e consultorias.

De acordo com a empreendedora, a metodologia já foi aplicada a centenas de empresas — como Gafisa, Banco do Brasil, OLX, Zap, Lojas Marisa e Chevrolet — e atingiu cerca de dois mil alunos. De fevereiro até então, Gisele revela que já fez mais de cem palestras de aculturamento para uma centralização da estratégia no cliente.