Caoa Chery pretende chegar ao grupo das 10 maiores montadoras do Brasil até 2023

Atualmente, a marca chinesa figura no 11º lugar no ranking de mais vendidos do país

Foto: Reprodução

A Caoa Chery pretende atingir o seleto grupo das 10 maiores montadoras do Brasil no início de 2023. Atualmente, a marca chinesa figura no 11º lugar no ranking de mais vendidos do país. Para atingir a meta, a montadora terá que superar os obstáculos impostos pela pandemia, como queda da renda no país e falta de confiança do consumidor.

A marca deve encerrar 2020 com cerca de 1,04% de market share em automóveis. A projeção da Caoa Chery é finalizar o ano com aproximadamente 20.200 unidades vendidas e, para 2021, em torno de 34.000. A companhia afirma ainda que irá encerrar o ano com 115 pontos de venda e, para o ano que vem, a estimativa é elevar para 150.

Marcio Alfonso, presidente da Caoa Chery, assegura que o crescimento vem acontecendo e não esconde a meta de chegar ao ranking das 10 maiores marcas do mercado brasileiro. Ele garante que há um plano para manter o ritmo, amparado na ampliação da rede, em produtos e na eficiência do serviço. Para ele, o potencial da marca é grande.

A ampliação do portfólio centrada em modelos de maior valor agregado tem ajudado no bom desempenho da Caoa Chery em 2020. Hoje, a montadora tem alguns modelos produzidos localmente, como o SUV Tiggo 2 e o sedã Arrizo 5, além dos utilitários esportivos Tiggo 5X e Tiggo 7, o sedã Arrizo 6 e o novo Tiggo 8.