Em novembro, startups brasileiras receberam investimentos de US$ 210 milhões

Em 2020, o acumulado supera o montante aportado no mesmo período de 2019

Foto: Reprodução

As startups brasileiras receberam US$ 210 milhões em investimentos de fundos de venture capital no mês de novembro. Os dados são do Inside Venture Capital Brasil, levantamento mensal realizado pelo Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da empresa de inovação aberta Distrito.

A pesquisa aponta que o acumulado do ano soma US$ 2,87 bilhões e 426 aportes — total superior ao realizado nos onze primeiros meses de 2019, quando aconteceram 356 rodadas, em um total de US$ 2,78 bilhões. No entanto, o mês de novembro, isoladamente, apresentou uma queda em relação ao mesmo período dos anos anteriores.

Em nota, Tiago Ávila, líder do Distrito Dataminer, afirma que isso não quer dizer que o mercado está desaquecendo. Segundo ele, o fato de o montante investido em novembro ser inferior ao mesmo mês dos últimos anos pode ser explicado pela alta concentração de investimentos que houveram nos meses de setembro e outubro deste ano.

Entre os principais investimentos de novembro, estão o aporte de US$ 102 milhões na Neologia, em rodada de Private Equity feita por Crescera e Vulcan Capital; e o de US$ 57,6 milhões na Olist, em uma rodada Series D liderada pelo fundo japonês Softbank — que já havia investido US$ 45,8 milhões na empresa no final do ano passado.

Já entre as rodadas em estágios iniciais, destaque para o investimento de US$ 5 milhões na fintech Facio, e outro de valor não divulgado na operadora digital Fluke. Em relação as fusões, ao todo, 143 aquisições de startups foram realizadas ao longo dos últimos onze meses. O volume já supera o dobro do realizado em 2019.

Até então, o estudo destaca que os setores de fintechs, adtechs e retailtechs foram os que mais atraíram interesse de grandes companhias em 2020. Foram adquiridas 20 startups do setor financeiro, 19 da área de marketing e publicidade e 17 do varejo.