Reclamações na Black Friday tem alta de 4,09%, afirma Reclame Aqui

De acordo com o levantamento, 27,01% das reclamações foram sobre propagandas enganosas

Foto: Reprodução

O site Reclame Aqui registrou 9.160 reclamações em sua cobertura da Black Friday, iniciada dia 25 de novembro e encerrada dia 27, um aumento de 4,09% sobre o ano passado, quando foram registradas 8.800 ocorrências em sua plataforma. Os principais problemas relatados foram propagandas enganosas, com 27,01% das reclamações.

Em seguida, a finalização da compra (10,12%) e divergência de valores (9%) foram outros problemas enfrentados pelos consumidores durante o período de promoções. O monitoramento apontou uma novidade entre as ocorrências em 2020: produto não entregue. O problema ocupou a 4ª posição no ranking, com 8,77% das reclamações.

Entre as dez empresas mais reclamadas, as companhias que compõem o Universo Americanas se destacam. O marketplace terceirizado das Lojas Americanas teve o maior número de chamados, com 471, enquanto sua loja on-line ficou em 4º (289), a Ame Digital em 6º (207) e o marketplace terceirizado da Submarino, ficou em 10º (148).

Kabum ficou em 2º lugar, com 306 reclamações, a loja on-line da Magazine Luiza em 3º (292), Casas Bahia em 5º (256), Riachuelo em 7º (170), iFood em 8º (164) e Lojas Renner em 9º (158). Enquanto entre os produtos que mais provocaram reclamações estão celulares (10,22%), tênis (6,35%), cartões de crédito (4,28%) e TV (3,9%).