Presidente da Microsoft aponta as principais tendências de tecnologia para a próxima década

Brad Smith acredita que recursos como a realidade aumentada terão ainda mais destaque nos próximos anos

Brad Smith, presidente da Microsoft (Foto: Reprodução)

Brad Smith, presidente da Microsoft, arriscou alguns palpites no Web Summit 2020 em relação as tendências de tecnologia que ganharão força na próxima década. No evento, Smith destacou que o papel dos dados e a sustentabilidade farão parte da transformação.

Não é segredo que os dados são fundamentais nos esforços de transformação digital. O executivo acredita que o mundo verá uma explosão nessa área, levando ao surgimento de mais centros especializados em comunidades e outros países. Ele aposta ainda que a computação quântica será amplamente utilizada, bem como a realidade aumentada.

A sustentabilidade foi outra tendência acentuada por Smith, uma vez que ela preserva os recursos mais valiosos do mundo: a vida, o planeta e o dinheiro. Segundo ele, ela não só será mais relevante como estará mais conectada as tendências tecnológicas. Apesar do otimismo, Smith alerta que empresas precisam ser cuidadosas com as soluções.

O presidente da Microsoft afirmou ainda que as empresas precisam se comprometer com seus princípios e transmitir conhecimento para os clientes, visto que a tecnologia funcionará de maneira diferente quando eles a implantarem em cenários diferentes. Segundo ele, o trabalho não acaba quando a tecnologia sai da porta da empresa.

As implicações do uso de reconhecimento facial são um exemplo. Smith exemplificou que a tecnologia pode ser usada para monitorar todos que andam na rua ou como um posto de controle específico em um aeroporto, o que consiste em dois cenários muito diferentes. Para ele, definição de “limites” no desenvolvimento das soluções são um passo inicial.

Smith reforçou ainda acerca da importância das empresas de tecnologia e governos caminharem juntos. O papel dos governos na definição de políticas é o segundo passo. A desinformação é outro exemplo, dado que plataformas digitais se tornam um ambiente propício para a disseminação de conteúdos falsos e discursos de ódio.

O executivo finaliza afirmando que, para ele, a verdade é que a desinformação talvez seja tão antiga quanto a própria política. Assim, cada vez que a tecnologia avança, seja na prensa móvel ou na internet, ela se torna a plataforma na qual ocorre a desinformação.