Ministério da Economia prevê nove privatizações em 2021

Relação inclui Correios e Eletrobras, que dependem da aprovação do Congresso, além de parques florestais e terminais de pesca

Paulo Guedes, ministro da Economia (Foto: Reprodução)

O Ministério da Economia anunciou que pretende realizar nove privatizações em 2021, entre as quais as de estatais como Correios Eletrobras. O plano foi divulgado após reunião do conselho do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), liderada por Paulo Guedes, com participação do presidente Jair Bolsonaro e de outros ministros.

O governo informou a ampliação da lista, que passa a contar com 201 projetos. De acordo com o Ministério, 115 estão previstos para 2021, com expectativa de geração de R$ 367 bilhões em investimentos. A equipe econômica afirma que o calendário representa uma expectativa viável, mas reconhece que parte dos projetos pode ficar para 2022.

No mês passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, apontou uma frustração por não ter conseguido vender nenhuma empresa estatal em quase dois anos de governo. Na ocasião, ele afirmou que acordos políticos no Congresso têm dificultado as privatizações e, para solucionar, ele avaliou que o governo precisa restabelecer sua base parlamentar.

Além de tudo, o Ministério da Economia prevê leilões ou avanço no processo de outros 106 ativos no ano que vem. Na lista, estão 24 aeroportos, 16 terminais portuários, 6 rodovias, 3 ferrovias, 8 terminais pesqueiros, 6 parques e florestas, 3 áreas de óleo e gás, 3 contratos de direitos minerários e 2 parcerias em Defesa e Segurança.

A lista ainda contém 1 projeto de irrigação na Bahia, 1 proposta de mobilidade urbana em metrô de Belo Horizonte (MG), o leilão de telecomunicação de 5G e, por fim, 24 projetos liderados por estados e municípios. Apesar de parte dos projetos possivelmente ficar para 2022, Paulo Guedes afirma que o importante é leiloar todos os ativos.

Veja a programação de privatização para 2021:

  1. Eletrobras;
  2. ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias);
  3. Emgea (Empresa Gestora de Ativos);
  4. CeasaMinas;
  5. Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre);
  6. Companhia Brasileira de Trens Urbanos – MG;
  7. Correios;
  8. Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo);
  9. Nuclep (Nuclebrás Equipamentos Pesados).