Dia do Solteiro movimenta R$ 300 bilhões em uma manhã na China

O desempenho favorece o Alibaba, depois de perder cerca de 10% do seu valor de mercado na semana passada

Festa de início do Dia do Solteiro, em 2019 (Foto: Reuters)

O Alibaba, gigante do comércio digital, informou que, o Dia do Solteiro, maior evento de vendas on-line em um único dia do mundo, já movimentou na China US$ 56 bilhões em vendas — cerca de R$ 300 bilhões na cotação atual —, só na manhã desta última quarta-feira (11). O evento registrou o recorde de US$ 38,4 bilhões em 2019.

Maior que a Black Friday e que a Cyber Monday nos Estados Unidos, o evento abrange quatro dias e, até agora, gerou uma quantia 16 vezes maior do que a do Prime Day, da Amazon, no mês passado. O Alibaba transformou a data em um festival de compras e, ao longo dos últimos anos, outras empresas também começaram a participar.

O desempenho favorece a companhia, depois de perder cerca de 10% do seu valor de mercado na semana passada, quando reguladores suspenderam a listagem de sua subsidiária Ant Group. As expectativas para a data já eram altas, com a pandemia, as pessoas foram forçadas a ficar em casa, o que impulsionou de vez as compras on-line.

História do evento

O data se originou na Universidade de Nanquim, uma das mais prestigiadas do país, em 1993. A data era celebrada inicialmente como uma oposição ao Dia dos Namorados, incentivando os estudantes solteiros a se presentearam.

A data também é conhecida como “duplo onze”, em razão do dia em que ocorre: 11/11. O ano de 2011 marcou o chamado Dia dos Solteiros do Século: 11/11/11. Aconteceram várias ações promocionais do varejo visando atrair jovens consumidores.

Aos poucos, o Dia do Solteiro foi se tornando cada vez mais popular entre os chineses e entrou para o calendário comercial. Até que, em 2009, o Alibaba adotou a data como seu grande dia de vendas, oferecendo descontos agressivos nos produtos.