Procura por voos melhorou, mas a queda de faturamento ainda assombra companhias aéreas

Demanda subiu 34% ante setembro

Segundo reportagem do Valor Econômico, a demanda total de voos da Gol Linhas Aéreas, – que é medida pela razão de passageiros-quilômetro transportados (RPK) – caiu 47,6% no mês de outubro, em comparação anual. A oferta de assentos – que é medida na razão assentos-quilômetro oferecidos (Ask) – teve uma retração de 45% na mesma base de comparação.

Em comparação ao mês de setembro, a procura por vôos teve uma melhora de 34% e a oferta de assentos subiu 37%. Já a taxa de ocupação das aeronaves foi de 78%. Houve uma piora de 2 pontos percentuais ante setembro e de 3,8% pontos ante outubro de 2019. 

O Ask é calculado com o número de assentos disponíveis multiplicado pelos quilômetros voados, enquanto a RPK é a multiplicação do número de passageiros pagantes pelos quilômetros voados.

A média de voos diários no mês da Gol aumentou de 270 para 336. Ainda segundo reportagem do Valor, houve também um aumento das operações diárias nos maiores hubs, atendendo o crescimento da demanda nos aeroportos do Galeão (RJ), Brasília, Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Navegantes (SC) e Foz do Iguaçu (PR).

O Valor afirmou que ”a pontualidade dos voos melhorou 4,3 pontos, passando de 92,6% em 2019 para 96,9% dos voos decolando no horário em outubro de 2020”. Em relação a cargas, o total transportado no mês foi de 3,6 toneladas, no ano passado a Gol havia transportado 8,5 toneladas no período.

Com exceção de voos fretados, a gol continua sem fazer voos internacionais regulares no mês, medida adotada desde o início da pandemia.