Investimento em tecnologia aumenta em 4,2% no primeiro semestre

No entanto, o avanço ainda é inferior ao crescimento de 6,1% do mesmo período de 2019.

No primeiro semestre deste ano, o mercado brasileiro de serviços de tecnologia da informação faturou R$ 41 bilhões. Segundo a consultoria do IDC, o número representa uma alta de 4,2% em relação ao mesmo período de 2019. No entanto, o avanço ainda é inferior ao aumento de 6,1% observado no primeiro semestre do ano passado, em relação aos primeiros seis meses de 2018.

Segundo reportagem do Valor Econômico, o número deste ano reflete o impacto da pandemia em vendas e manutenção de equipamentos, que ficaram estagnados em relação ao primeiro semestre de 2019.  Os principais motivos para o resultado foram a alta do dólar e problemas na cadeia de suprimentos – principalmente pelo fechamento de fábricas de componentes na Ásia. 

Se, por um lado, a pandemia prejudicou, por outro lado, ela ajudou. Segundo o Valor, “a necessidade de adaptação das empresas ao trabalho remoto e a aceleração de projetos digitais, no primeiro semestre, aqueceram a demanda por serviços de computação em nuvem e segurança”. A IDC afirma que o faturamento com serviços de gerenciamento de aplicações teve um aumento de 5,9% no primeiro semestre.

A previsão é que a demanda das empresas por softwares e aplicações hospedados na nuvem continue altas até o fim do ano. De acordo com o Valor “isso pode ocorrer tanto em ambientes de nuvem pública, distribuídos em data centers terceirizados, como de nuvem privada, em infraestruturas próprias”. Porém, apesar do avanço da demanda durante a pandemia, a IDC acredita que o mercado de serviços só vai se recuperar em 2021. 

A IDC avalia o investimento em tecnologia em grandes empresas (com mais de 500 funcionários), nas médias (com 100 a 499 funcionários) e nas pequenas (com dez a 99 funcionários), fazendo uma análise dos setores de comércio, manufatura, telecomunicações e mídia, finanças, óleo e gás, serviços, educação e governo.