Mercados mundiais têm manhã de instabilidade por incerteza eleitoral nos EUA

É possível que o mundo só saiba do resultado definitivo dentro de dias

Foto: Reprodução

Os mercados mundiais registram um movimento instável nesta quarta-feira (4) em meio à incerteza na disputa eleitoral nos Estados Unidos. A apuração dos votos nas eleições para presidente segue bastante apertada e sem um vencedor definido. É possível que o mundo só saiba do resultado definitivo dentro de dias.

Mauro Guillén, economista político da Universidade da Pensilvânia, afirmou que a demora para o resultado da eleição presidencial e com as incertezas se prolongando, poderá haver consequências negativas, que devem causar tensão nos mercados até uma definição. Para ele, será pior ainda se acontecerem protestos ou distúrbios violentos.

Às 7h40 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 subia 0,19%, a 1.381 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhava 0,15%, a 357 pontos, após cair 1,3%. Em Londres, o FTSE 100 subia 0,33% e, em Frankfurt, o DAX avançava 0,21%. Em Paris, o CAC 40 ganhava 0,42% e, em Madri, o Ibex 35 caía 0,80%.

Já nos EUA, os futuros dos índices acionários tinham forte instabilidade. Os e-minis do S&P chegaram a cair 1,15% mais cedo, recuperando-se com alta de 1,3% e voltando a recuar em seguida. Na Ásia, os principais índices acionários fecharam em alta. Na China, o índice CSI300 subiu 10,76%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,19%.

Independente do resultado eleitoral, economistas americanos entrevistados pelo jornal Valor Econômico preveem que a economia dos EUA deverá passar por um período de turbulência nos próximos meses, devido à pandemia de Covid-19 e, principalmente, de uma não reedição do pacote de estímulos às empresas e aos trabalhadores.