Google é processado por concorrência desleal nos Estados Unidos

Departamento de Justiça americano diz que empresa controla mercado de publicidade relacionada à busca

Foto: Reprodução

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos e 11 estados norte-americanos entraram com uma ação antitruste contra o Google, no começo desta semana, alegando que a empresa agiu ilegalmente para manter sua posição nos mercados de busca e publicidade na internet. O processo foi apresentado em um tribunal federal de Washington.

A companhia é acusada de pagar outras companhias — como fabricantes de telefones celulares, operadoras e navegadores, entre elas a Apple — para manter seu sistema de buscas como o padrão. O processo representa a mais agressiva ação dos EUA contra o domínio de uma empresa no setor de tecnologia em mais de duas décadas.

O processo afirma que “na ausência de uma ordem judicial, o Google continuará executando sua estratégia anticompetitiva, prejudicando o processo competitivo, reduzindo a escolha do consumidor e sufocando a inovação”. A gigante da tecnologia se defendeu dizendo que o processo é falho e não vai ajudar os consumidores.

Kent Walker, vice-presidente sênior de assuntos globais do Google, afirmou que os acordos com a Apple e com outros fabricantes de dispositivos não são diferentes dos que muitas outras empresas tradicionalmente usam para distribuir software. Segundo ele, outros mecanismos de pesquisa competem com eles pelos acordos.

Além disso, o processo tem como objetivo questionar o fato de o aplicativo de busca do Google vir pré-instalado no sistema operacional Android, também desenvolvido pela empresa, sem a possibilidade de ser excluído. A falta de concorrência, segundo os promotores, oportuna menos opções para escolher, atrapalhando o processo de inovação.