Novas restrições de exportação de tecnologia dificultam venda do TikTok

A China revisou, pela primeira vez em 12 anos, uma lista de tecnologias que estão proibidas ou restritas para exportação

Foto: Reprodução

A China anunciou novas restrições às exportações de tecnologia de Inteligência Artificial (IA). Pela primeira vez em 12 anos, o governo chinês determinou que qualquer tecnologia de inteligência artificial só pode ser exportada com um licença dada pelo governo, o que pode dificultar a venda do aplicativo de vídeo TikTok aos Estados Unidos.

O Ministério do Comércio da China adicionou 23 itens, que incluem desde tecnologias de computação e processamento de dados a análise de texto, recomendação de conteúdo, modelagem de fala e reconhecimento de voz. O processo para obter a aprovação preliminar para exportação de tecnologia pode levar até 30 dias.

Quanto ao TikTok, a medida pode prejudicar as negociações entre a empresa de tecnologia chinesa Bytedance e os compradores em potencial nos EUA. O presidente dos EUA, Donald Trump, determinou a exclusão do TikTok se até novembro não for vendido para uma empresa americana. Desta forma, a empresa enfrenta pressão da Casa Branca para vender rapidamente as operações americanas.

A Bytedance anunciou em comunicado que vai “cumprir estritamente” as novas regulamentações de exportação impostas pela China. Entre os aplicativos que não são games, o TikTok foi o mais baixado no mundo durante a pandemia do novo coronavírus. Foram 350 milhões de downloads, fazendo a plataforma alcançar 2 bilhões de downloads e valer mais de 75 bilhões de dólares em valor. 

O CEO do TikTok, Kevin Mayer, saiu da empresa na última semana após ela abrir um processo contestando as decisões do governo americano. O TikTok, que teve 175 milhões de downloads nos EUA, declara em sua ação judicial que as resoluções de Trump são incentivadas por questões políticas e financeiras, e não por questões de segurança nacional, como ele diz.