Ações para recuperação econômica na região Tocantina são discutidas em reunião

As medidas são para contribuir na reconstrução da economia local impactada pela pandemia

Foto: Reprodução

O início das ações do Plano de Retomada das Atividades Econômicas – Avança Maranhão nas indústrias da região Tocantina não deve demorar. Em reunião feita pelo superintendente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), César Miranda, foram pautadas as medidas disponíveis para contribuir na reconstrução da economia local, fortemente impactada pelos efeitos da pandemia.

O superintendente explica que o compromisso é de apoio a classe empresarial do Maranhão que vem lutando diante do cenário e resistindo fortemente, inclusive despontando como um dos setores que mais criou postos de emprego, mesmo diante à crise. Miranda afirma que é uma missão da FIEMA e que o presidente Edilson Baldez enfatiza para o crescimento e fortalecimento da economia no Maranhão.

A iniciativa conjunta vai contribuir para a mitigação dos impactos econômicos e sociais gerados nos últimos meses, além de propiciar uma estratégia de auxílio à retomada progressiva e segura de todas as atividades produtivas e de circulação econômica, concedendo apoio emergencial às empresas, particularmente aos pequenos negócios.

Para o presidente da Fecomércio-MA, José Arteiro da Silva, o plano vai contribuir para fortalecer a economia neste momento de retomada. Ele afirma ter a convicção de que a união empresarial conseguirá acelerar o processo de recuperação econômica, garantindo o retorno dos empregos, a requalificação das pessoas, a organização do setor produtivo e, principalmente, o apoio social que os maranhenses tanto precisam agora.

Foram destinados quase R$ 30 milhões ao programa Avança Maranhão pelas entidades empresariais ACM, Faema/Senar, Sistema Fecomércio, Sistema FIEMA e Sebrae. Na região Tocantina, conforme os representantes das indústrias dos segmentos que participaram da reunião, as empresas já têm procurado os sindicatos em busca de apoio, especialmente, acesso ao crédito e programas de capacitação e fortalecimento das empresas.