Veja como funcionará o PIX, novo sistema de transações instantâneas

O cadastramento de chaves começará dia 5 de outubro e o PIX passa a funcionar dia 16 de novembro

Foto: reprodução

Passará a valer, a partir do dia 5 de outubro o cadastramento de “chaves” do novo sistema de pagamentos instantâneos PIX. A informação foi divulgada na quarta-feira(12), pelo Banco Central (BC). Por meio desta liberação de “chave”, que mais claramente se trata de identificação para as transações realizadas pelo PIX. As transações serão liberadas com o uso desta identificação e pode ser realizada todos os dias da semana.

Como a maioria das transações atuais, o método usado para essas transações usará a tecnologia a todo momento por meio de QR Code. Serão utilizados como chaves números localizados no CPF, CNPJ, número de telefone ou dados de e-mail. O banco informa que estará disponível para todo o país em novembro.

Facilitando transações financeiras

O PIX foi pensado pelo BC para facilitar transações financeiras. Tanto para quem usa bastante, quanto para quem não faz tanto uso deles, é possível que DOCs e TEDs sejam substituídos por esse novo método de transação, esse o objetivo do lançamento do PIX.

De acordo com o BC, além de auementar a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos, tem o pontecial de alavancar a competitividade e eficiência do mercado; baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes; promover a inclusão financeira e preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente para a população.

O PIX passa a funcionar no dia 16 de novembro. É importante esclarecer que para usar o novo recurso, é necessário abrir uma conta específica. O serviço não funcionará por meio de aplicativo, muito menos por banco.

Segundo o BC, o sistema estará disponível para correntistas de quaisquer bancos, clientes de algumas fintechs e outras financeiras credenciadas pelo Banco Central. Basta que seja uma conta transacional de pessoa física ou jurídica, conta corrente, de poupança ou uma conta de pagamento pré-paga.

970 instituições interessadas no PIX

A aplicação tecnológica já atrai e agrada mais de 970 instituições. Veja abaixo as alternativas oferecidas pelo PIX:

Pela própria chave de endereçamento, um e-mail, CPF, número de telefone ou código de números e letras chamado EVP;

Via link que o próprio celular gera;

Via leitura de QR Code

Saque PIX

A opção de pagamento offline também já é discutida e trabalhada, o esperado é que passe a funcionar em 2021. Além disso, redes varejistas passam a fazer parte do processo e, para saques nestas, será lançado o “saque PIX”.

O aplicativo irá funcionar de forma a garantir uma experiência homogênea, simples e prática, o BC definiu requisitos mínimos que deverão ser observador pelos participantes. Já que para as empresas, o PIX deverá ser ofertado por meio do principal canal digital da instituição, podendo ser via aplicativo ou internet banking.

R$ 0,01 a cada 10 transações financeiras

Não serão cobradas tarifas pelo PIX. O BC explica que cobrará apenas das instituições financeiras valores muito baixos pela utilização do serviço. A cada 10 transações pelo PIX, R$ 0,01 será cobrado a cargo de recuperação de custos operacionais.