O tombo foi grande, mas a retomada do crescimento está surpreendendo

Recuperação no terceiro trimestre pode ser mais rápida do que o previsto

Os primeiros indicadores de atividade para julho mostram que a recuperação do terceiro trimestre, a curto prazo, pode ser mais rápida que o previsto inicialmente, segundo reportagem do Valor Econômico. No entanto, a dinâmica da pandemia, o fim de programas do governo e as incertezas em relação a reação dos serviços e às perspectivas fiscais ainda deixam um clima de dúvida na segunda metade do ano como um todo. 

O economista-chefe da Panamby Capital, Eduardo Yuki, em entrevista ao Valor, traçou,  da demanda à oferta, um percurso de indicadores mais positivos para o início do terceiro trimestre. Segundo ele, desde abril, índices de isolamento social vêm diminuindo. A dúvida é se as pessoas saem de casa para dar uma volta no quarteirão ou para retomar algum consumo ou atividade produtiva.

Ainda segundo reportagem do Valor, “o indicador semanal da Cielo para faturamento das vendas no varejo, que chegou a tombar 52% na quarta semana de março, ante o momento pré-pandemia (fevereiro), caía 13% na última semana de julho”. De acordo com Yuki, isso significa um pouco mais de consumo voltando. 

A produção de automóveis e comerciais leves também cresceu. Aumentou 61% de junho para julho, segundo ajuste da LCA para os dados da associação de montadoras (Anfavea). Segundo economistas, houve redução nos estoques, de 27 dias de vendas em junho (157,6 mil unidades) para 24 dias em julho (138,3 mil unidades). 

De acordo com Yuki, isso significa que, lá na frente, empresas terão de voltar a produzir mais. Esse estoque baixo – e não só no setor automotivo – ajuda a sustentar a necessidade de produção nos próximos meses.

Segundo o Valor, o Índice de Gerentes de Compras da indústria no Brasil atingiu o nível recorde de 58,2 em julho, enquanto o PMI de serviços subiu para 42,5, ante 35,9 em junho, mas ainda está abaixo de 50, o que indica retração da atividade. 

De acordo com a economista-chefe da Claritas Investimentos, Marcela Rocha, em entrevista ao Valor, se a atividade em julho começa bem, já garante a possibilidade de um terceiro trimestre bom para o Produto Interno Bruto (PIB).