Entenda os prejuízos de uma startup financeira digital

Em 2019, o prejuízo líquido atingiu R$ 105,3 milhões, sendo bem maior que o resultado de 2018, que foi de R$ 41,6 milhões

A fintech Neon, especializada em abertura e movimentação de contas-correntes digitais e emissão de cartões de débito, crédito e pré-pago, teve um prejuízo líquido de 153% em um ano, conforme balanço consolidado da Neon Pagamentos S.A., nome oficial da companhia.

Em 2019, o prejuízo líquido atingiu R$ 105,3 milhões, sendo bem maior que o resultado de 2018, que foi de R$ 41,6 milhões. 

Segundo reportagem da UOL, o crescimento da Neon no mercado permitiu à companhia aumentar as venda em quase cinco vezes, fazendo com que a receita líquida operacional subisse 387,8% e passasse de R$ 4,9 milhões, em 2018, para R$ 23,9 milhões no ano seguinte. 

Mas os gastos também cresceram. Ainda de acordo com reportagem da UOL, as despesas subiram 377,5%, de R$ 35,1 milhões, em 2018, para R$ 167,6 milhões, em 2019. As despesas que subiram mais foram as com vendas, que passaram de R$ 9,6 milhões em 2018 para R$ 56,1 milhões em 2019. 

O volume de transações feitas pela Neon aumentou 458% e chegou a R$ 41,2 milhões. O número de funcionários aumentou 273% para 660 pessoas contratadas. 

Segundo a empresa, a crise desencadeada pelo covid-19 vai fortalecer os meios e negócios digitais. “Por isso, prevemos continuar a crescer de forma acelerada e ao longo deste ano faremos a ampliação da oferta de crédito, bem como o lançamento de novos produtos”, disse a companhia em relatório.