Valor de mercado da Apple ultrapassa o PIB do Brasil

Empresa de tecnologia está valendo cerca de US$ 1,9 trilhão e acumula alta de 40% no preço das ações desde o início do ano

Foto: Reprodução

A Apple, empresa mais valiosa do mundo, está valendo aproximadamente US$ 1,9 trilhão no mercado, de acordo com a Nasdaq, a bolsa de valores em que a companhia está listada. Com isso, a gigante da tecnologia superou nos últimos dias o valor do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2019, que chegou a US$ 1,84 trilhão.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região, durante um período determinado. No Brasil, o PIB registrou em 2019 a terceira alta anual consecutiva após dois anos de retração, mas a recuperação lenta ainda mantém a economia do país abaixo do patamar pré-recessão.

Quanto a Apple, o bom resultado no segundo trimestre de 2020, com aumento de receita para cerca de US$ 60 bilhões fez as ações da companhia crescerem para mais de US$ 400 desde o início de agosto. O mercado financeiro espera que, desta forma, a empresa possa se tornar a primeira a romper a marca dos US$ 2 trilhões em valor de mercado.

Os analistas Daniel Ives e Strecker Backe, da consultoria financeira Wedbush, disseram ao Estadão que o valor de US$ 2 trilhões vai ser alcançado logo, já que o último trimestre fiscal da Apple entrou para a história e foi um fator de virada para os investidores. Eles apostam que um eventual iPhone 12 com tecnologia 5G devem disparar ainda mais ações.

Tim Cook, CEO da Apple, afirmou em entrevista à agência de notícias Reuters que após consolidação em abril, os negócios da companhia se intensificaram durante maio e junho. Ele atribuiu parte do resultado ao lançamento do novo iPhone SE. O desempenho também foi impulsionado por um aumento significativo nas vendas de Macs e iPads. 

O setor de tecnologia vem obtendo bom desempenho na bolsa em função da boa saúde financeira das empresas. Francine Balbina, analista de fundos internacionais da Spiti, do grupo XP Investimentos, afirmou que existe toda uma cadeia de tecnologia que cresceu neste ano, como empresas de nuvem, de e-commerce e de interface de usuário.