Em tempos de incerteza, ouro dispara entre os ativos

Houve disparada no preço do metal na bolsa de valores de Nova York

Em tempos de pandemia, o ouro está em alta: houve uma disparada nos preços do metal. Em Nova York, segundo o Valor Econômico, a onça do ouro começou o ano cotada em  US$ 1.528,90. Desde terça-feira passada (4), está acima dos R$ 2.000. Na quinta-feira (6), fechou a US$ 2.063,10.

Atrás apenas do minério de ferro, o ouro é um dos maiores itens da pauta de exportações minerais do Brasil. Ainda de acordo com reportagem do Valor, no segundo trimestre, o país exportou US$ 1,1 bilhão em ouro. Esse número é 32,5% maior que o registrado no segundo trimestre do ano passado.

As empresas operando no Brasil aproveitam não só a alta dos preços, mas também câmbio favorável para exportação. Segundo o Valor, “o resultado é um reforço do caixa e a possibilidade de exploração de áreas de reservas que até então não eram economicamente viáveis”. 

O ouro serve de matéria-prima para a produção de barras que lastreiam investimentos e também é insumo da indústria joalheira.