TikTok ameaça tomar ações legais contra proibição de Trump

Na quinta-feira, o presidente dos EUA anunciou que o TikTok e o WeChat devem interromper as operações nos EUA em 45 dias

Nesta sexta-feira (7), o TikTok ameaçou ir à Justiça contra a decisão do presidente Donald Trump de proibir o aplicativo nos Estados Unidos. Na última quinta-feira, Trump anunciou que tanto o TikTok como o WeChat, aplicativos chineses, devem interromper as operações nos EUA em um prazo de 45 dias.  

Em comunicado, o TikTok afirmou que irá buscar todas as soluções disponíveis para assegurar que o estado de direito não seja descartado e que a empresa e os usuários sejam tratados de maneira justa se não pela administração, pelos tribunais dos EUA. 

O comunicado diz ainda que a empresa ao longo de um ano, se envolveu “de boa fé com o governo dos EUA para fornecer uma solução construtiva para as preocupações que foram expressas”. 

“O que descobrimos foi que o governo não prestou atenção aos fatos, ditou termos de um acordo sem passar por processos legais padrão e tentou se imiscuir em negociações entre empresas privadas”, diz o comunicado. 

Com a proibição de Trump, as ações da Tencent, dona do WeChat, caíram 10%, provocando um tombo de US$ 70 bilhões no valor de mercado. A ByteDance, dona do TikTok, ainda não fez uma oferta pública inicial de ações.