Independência do jogador é característica principal na nova versão de ‘Watch Dogs: Legion’

A Ubisoft planeja lançar a nova versão do game dia 29 de outubro

Foto: reprodução

Em entrevista cedida ao G1, a Ubisoft anuncia o lançamento da terceira franquia de ‘Watch Dogs: Legion’ para o dia 29 de outubro. As primeiras versões deixaram a desejar, o público criou grandes expectativas por jogos revolucionários, mas acabou se frustrando com um jogo mediano. Por agora, pelo que experimentou a equipe do G1, o jogo parece ser bem mais atraente, pelo menos diante do que foi apresentado durante algumas horas com a demo.

Explorando o ambiente do jogo

O grande diferencial do jogo vem sendo usado em alguns outros games, ‘Legion’ oferece ao jogador a possibilidade de assumir o protagonismo diante da não existência de um herói fixo. As missões também são bem mais amplas que as anteriores, permitindo que o jogador explore todas as pessoas na recriação da Londres.

É preciso que o jogador cumpra as missões genuinamente para que, a partir das próximas etapas, conquiste aliados capacitados a enfrentar novas fases, o que se torna a peça chave do jogo. O game explora diversos universos diferentes, que vai de segurança da corporação maligna a velhinhas aparentemente inofensivas.

Sistema mais aprimorado

Ainda não é possível explorar o jogo completo, mas para início, ainda existe a chance do jogo “ficar na mesma”, caso não aprimore seu sistema, que é bem parecido aos dos jogos anteriores. ‘Legion’ precisa vestir o título e ir além do normal que gira em torno de hackear sistemas e câmeras para fazer o reconhecimento do local, desabilitar alarmes ou incapacitar inimigos.

O desafio do game é incorporar o sentido de legião e ampliar – como já promete essa versão – melhores atrativos de um mundo aberto, aquele que deve ser explorado sem pressa e com maior liberdade possível.