Desempenho de funcionários em home office está ligada à relação com chefes

O levantamento avaliou a importância de proximidade entre funcionários e seus chefes

Foto: reprodução

A produtividade de empresas veio apresentando melhor desempenho a partir do trabalho em home office, entre os meses de abril e maio, os números que mostraram melhora significativa no trabalho, ficaram entre 10% a 20% relacionado à performance destas empresas, dados obtidos pelo Valor, após levantamento feito com cinco companhias que empregam de 300 a 14 mil funcionários, em setores como finanças, e-commerce e tecnologia.

Com a pandemia sendo a maior causadora do distanciamento social, diversas empresas precisaram adaptar sua forma de trabalho, com isso, em vez de manter seu grupo de funcionários em espaços físicos, atribui a eles o serviço em home office. Mesmo diante de questionamentos e receio com o novo modelo de trabalho, chefes notaram maior produtividade e melhor relação entre os funcionários e líderes durante este período.

A importância do líder de equipe

Um dos principais desencadeadores desta mudança de cenário mas com crescimento contínuo é o posicionamento do líder de cada equipe. Com a pandemia afetando o trabalho presencial, os chefes mantiveram o contato mais frequente com seus funcionários, consequentemente, os números alavancaram no quesito produtividade.

Maria Elisa Moreira, professora de pós-graduação e educação executiva do Inpes explica que muitos gestores não tinham proximidade com os colaboradores e achavam que só a tecnologia resolveria a questão do home office. Mas, produtividade se faz com envolvimento. Sem um líder orquestrando uma equipe integrada não há gestão.

Sucesso não se atrela ao espaço físico

O desempenho que resultou o trabalho de casa, levou os líderes se ocupar um espaço físico está atrelado ao sucesso da empresa. Já é avaliada a revisão da frequência dos expedientes à distância e ampliação de operações regionais se a necessidade de unidades físicas.

A maioria dos gestores acredita no resultado positivo do home office. Com toda sua equipe operando de caso desde do 16 de março, o Banco Pine tem 320 funcionários trabalhando de casa, o que surtiu efeito de 93% de avanço no rendimento dos times.

A área que se dedica a analisar os resultados de clientes para oferta de crédito mostrou um aumento de 20% na verificação de casos, com a mesma quantidade de funcionários, relata a superintendente de RH Jussara Lemos Soares Penhalbel.

O banco avalia o crescimento em produtividade por meio sistemas que controlam o volume de solicitações e o tempo de atendimento das demandas e que realizam chats privados e entre times.

Desempenho OLX

Outra grande marca que percebeu as mudanças positivas com o trabalho em home office foi a OLX, plataforma de compra e venda de mercadorias. Com toda a equipe trabalhando de casa desde o início da pandemia, o avanço foi de 3% e 9% nos resultados de maio e junho, respectivamente, em relação a abril.

A companhia investiu em um software de telefonia na nuvem, que acompanha o número de ligações de negócios realizadas pelos funcionários, além de mensurar o tempo em linha. Atas de desempenho também foram automatizadas em abril para que os gestores comerciais acompanhem números atualizados de hora em hora e possam corrigir estratégias rapidamente, diz o chief human resource officer (CHRO), da OLX, Sérgio Povoa.