Pagamento por WhatsApp pode dominar mercado

BC pediu informações sobre nova ferramenta do aplicativo

Nesta semana, o Facebook, proprietário do Whatsapp, anunciou que o aplicativo de mensagens vai permitir que usuários enviem e recebam dinheiro usando cartões cadastrados – por enquanto, Banco do Brasil, Nubank e Sicredi

O Brasil será o primeiro país a receber a atualização e o processamento das transações será feito pela Cielo. As bandeiras Visa e Mastercard participam do acordo e, em breve, a Elo deve aderir à parceria.

Além de incomodar concorrentes, essa nova ferramenta, conforme apurou o Valor Econômico, chama atenção de órgãos reguladores, como o Banco Central (BC) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que pediram informações sobre o modelo de negócios aos participantes do acordo.  

Conforme reportagem do Valor, a estreia da rede social em pagamento traz preocupação em relação a presença das “big techs” no setor financeiro. O Whatsapp tem mais de 120 milhões de usuários em território brasileiro e supera a quantidade de clientes dos bancos locais. O aplicativo, então, tem potencial para dominar o mercado. 

Além disso, em novembro, o BC vai lançar o seu sistema de pagamento instantâneos capitaneado: O Pix. Um dos objetivos da plataforma é evitar que o mercado brasileiro seja dominado por grandes sistemas fechados de pagamentos.

Em entrevista ao Valor, uma fonte afirmou que o serviço do Whatsapp será interoperável com o Pix. Contudo, segundo o jornal, uma boa parte das transações pode ocorrer dentro da própria rede social, onde a vista do BC não alcança. Procurado pelo Valor, o BC não se manifestou sobre o assunto.