Compartilhamento de automóveis perde força durante pandemia

Serviços de carros compartilhados perdem força após orientação de distanciamento social

A Maven, da General Motors, encerrou atividades em abril (foto: reprodução)

Entre os segmentos mais afetados pela pandemia causada pela coronavírus, os serviços de carsharing (compartilhamento de carros) tentam de todas as maneiras sobreviver durante este tempo. Mas, infelizmente, nem todos conseguiram, como é o caso da Maven, criado pelo General Motors.

Após 3 anos no mercado, a Maven encerrou suas atividades em abril. Com a orientação de distanciamento social, não há quem se arrisque em compartilhar um carro com um desconhecido.

Desfecho durante a pandemia

Diante de alguns deslizes e problemas quem vem enfrentando há algum tempo, o desfecho para que tudo desandasse se deu após o novo coronavírus. Por conta de serviços descontinuados em praças importantes dos EUA, como Chicago e Nova York, a notícia do fim das atividades não foi algo que causou espanto no público.

Outros serviços também foram encerrados desde o ano passado, exemplo disso foi Daimler e BMW que decidiram parar com o Share Now na América do Norte, uma colaboração resultante da união dos serviços ReachNow, da BMW e Car2Go, da Daimler.

Beepbeep car sharing

Não se encontra facilmente serviços de carsharing no Brasil, o que reduz o impacto no setor dentro do território brasileiro. Uma das poucas empresas que oferecem o serviço é a beepbeep, apenas nas cidades de São Paulo e São José dos Campos.

Observado o cenário pós pandemia, a consultoria Deloitte, na Bélgica, por meio de estudos, constatou que os serviçoc de mobilidade por compartilhamento vão precisar demonstrar que são capazes de atender as expectativas dos clientes em relação à sua segurança.

Cuidados com a higienização e desinfecção

Por se tratar de um serviço que necessariamente precisa constantemente trocar de pessoas no interior do veículo, a preocupação principal é ligada à higienização e desinfecção dos carros. Empresas já começaram a se preparar para um novo futuro, para que os usuário se sinta seguro. Para isso, serviços como esterilização de volantes, manopla de câmbio e maçanetas internas tem sido exigidas pelas empresas responsáveis por este serviço.

Mesmo não sabendo ao certo o futuro que espera por essas empresas e serviços, é fácil imaginar que após essa onda de pandemia da Covid-19, eles nunca mais serão os mesmos.