O cenário futebolístico pós pandemia

Após meses parados, o retorno dos clubes será lento, mas com precauções evitando novos casos positivos para a Covid-19

Clubes de futebol retornam aos campos lentamente durante a pandemia (foto: reprodução)

O brasileiro costuma repetir que suas maiores paixões são: carnaval, samba e futebol. Era bastante normal ver quadras de samba, passarelas e arquibancadas lotadas, mas há alguns meses essas paixões foram “interrompidas” por conta da pandemia causada pelo coronavírus.

Eis a pergunta: e o futebol? Como será seu futuro pós pandemia? O cenário ainda é duvidoso e causa muitas especulações com seu lento retorno. Um dos pontos a serem avaliados será o impacto gerado na gestão técnica dos clubes, principalmente dentro do que rola em campo.

Atletas sem condicionamento físico

Muito tempo parado, sem exercício físico e sem estímulo muscular para aguentar correr por 90 minutos ou mais, pode deixar o atleta sem rendimento e causar grande impacto negativo para o clube. Com esse tempo “parado”, o atleta passa por ganho de peso, entre outras variáves que causam preocupações no mundo do futebol. O período mínimo para voltar às boas condições físicas é de seis meses, tempo que vale ouro para quem ficou sem trabalhar por um extenso período.

Financeiramente falando, os clubes não terão condições para muitas e breves contratações. Essa situação pode ser um agravante e influenciar na formação dos elencos. Por conta do poder de moeda, o jogador brasileiro fica menos “atraente” para clubes de outros países. O que reduz a possibilidade do jogador sair da terra natal para outros locais, o deixando parado e perdendo chances de trabalho.

Maior chance de contusão

Agora é necessário correr atrás do tempo “perdido” e recuperar os jogos que não aconteceram, o que consequentemente fará com que o jogador sinta mais o lado físico e emocional, além de aumentar a chance de contusões e aí entra a questão de não ter jogadores reservas para substituírem os contundidos e cansados de partidas diretas e viagens contínuas.

A fim de evitar aglomerações e propagação do vírus, os estádios não podem ter a presença de torcedores. Sem público não há venda de ingressos e não entra dinheiro, prejudicando o setor, estagnando o retorno do crescimento financeiro.

Campeonato Brasileiro

Essas questões abordadas com esse novo formato e regras deixa tudo diferente, por exemplo, o Campeonato Brasileiro, começará tudo do zero. Os pontos abordados podem causar um impacto significativo nas posições finais do torneio. Vale lembrar que para voltar a ter um bom desempenho e resultado é necessário saber lidar com as mudanças.