Ganhos do Zoom disparam em meio a pandemia

Os resultados da receita da empresa atingiram US$ 328,2 milhões de dólares, o que superou a expectativa dos analistas

Devido a pandemia do novo coronavírus, o uso de plataformas de videoconferência tem crescido. Uma delas é o Zoom, cujas ações triplicaram de valor desde o começo do ano. Nesta terça-feira (2), a companhia liberou os resultados do primeiro trimestre de 2020 e revelou um crescimento de 169% em comparação ao mesmo período do ano passado. 

Os resultados da receita da empresa atingiram US$ 328,2 milhões de dólares, o que superou a expectativa dos analistas: eles esperavam US$ 202,7 milhões. A previsão de receita anual da plataforma foi elevada de US$ 905 milhões a US$ 915 milhões de dólares para US$ 1,78 bilhão a US$ 1,80 bilhão.

Fundada em 2011 pelo empresário Eric S. Yuan,  o Zoom é um software de chamada de vídeo para duas ou mais pessoas com foco no setor corporativo – apesar de poder ter outros usos. 

No plano de assinatura, a companhia cobra 15 dólares para pequenas empresas e no mínimo 20 dólares para empresas de médio e grande porte. A opção gratuita tem recursos limitados e só permite reuniões com duração de 40 minutos. 

Segundo a Exame, a empresa captou 146 milhões de dólares em aportes de fundos como Sequoia Capital e Horizon Ventures. Em 2017, veio o primeiro bilhão de dólares em avaliação do mercado e em 2019, o Zoom entrou na bolsa de valores com 751 milhões de dólares com a oferta inicial de ações, o que elevou seu valor de mercado para 9,2 bilhões de dólares. 

Este ano, o Zoom cresceu devido ao isolamento social. As ações triplicaram de valor e a empresa vale mais de 57,5 bilhões de dólares.