Inadimplência das famílias brasileiras atinge maior taxa em maio

Taxa ficou em 10,6% em maio; no mês anterior tinha ficado em 9,9%

Foto: Reprodução

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) realizou uma Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) e informou que a inadimplência das famílias brasileiras ficou em 10,6% em maio, representando a maior proporção desde abril de 2018.

Em abril desse ano a inadimplência das famílias brasileiras ficou em 9,9%. O aumento em relação a esse mês foi observado em meio os impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Já o número de famílias brasileiras que se consideram muito endividadas chegou a 16% em maio, o que significa o maior percentual desde setembro de 2011, quando o índice ficou em 16,3%.

A Peic indicou um decréscimo de 66,6% em abril, para 66,5% em maio, em relação ao total de famílias com dívidas em: cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro de carro. O percentual de endividamento ainda se apresentou maior do que em maio de 2019, quando foi de 63,4%.

Já o número de brasileiros com dívidas ou contas atrasadas ficou em 25,1%, apresentando uma queda de de 0,2 ponto percentual em março quando comparado a abril. Na mesma época do ano passado, o índice ficou em 24,1%.