Anticorpos de Lhama podem ser usados contra a Covid-19

A lhama Winter possui nanocorpos que podem contribuir com estudos para combater o vírus

Lhama pode ser eficaz nos estudos contra o cotonavírus (foto: reprodução)

Diante de uma gama de novas possibilidades de encontrar a cura para o novo coronavírus, cientistas constataram, por meio de alguns estudos, que a lhama Winter (inverno, em português), pode conter um anticorpo especial capaz de contribuir para o combate do vírus. Winter vive em uma fazenda-laboratório na Bélgica, onde os estudos são realizados.

De acordo com dados obtidos pelos estudiosos, Winter produz anticorpos que foram usados no desenvolvimento de um novo anticorpo, como apresentou o estudo publicado no período científico Cell, no início de maio. O estudo explica que esse anticorpo tem capacidade de se “grudar” na superfície do vírus, neutralizando a sua atuação.

Futuro tratamento para a Covid-19

As pesquisas serão continuadas e, de acordo com os resultados positivos, num futuro próximo, a técnica pode se tornar um futuro tratamento para a doença.

Além dos anticorpos produzidos por Winter, os cientistas acreditam no uso do sangue de pacientes curados da Covid-19, por isso, estão expandido o estudo em cima disso. Os ratos também viraram objeto de estudo, de acordo com alguns pesquisadores, eles estão sendo expostos ao vírus como tentativa de entender a atuação no organismo.

Nanocorpos

Winter se destacou diante dos estudiosos por conta de anticorpos específicos que contém a ihama, os chamados nanocorpos. Sua ação pode ser mais prolongada em contato com o corpo, levando maior tempo para se degradar.

Mesmo diante da descoberta, o tempo de avaliação desses anticorpos está longe de chegar ao fim, consequentemente, irão demorar para serem testados em humanos. Os primeiros testes serão, como de costume, realizados em animais, relatam os cientistas belgas.