Amazon e Facebook registram recorde em ações em meio à pandemia

O Facebook chegou US$ 230,75 por ação, conquistando novos recordes, com alta de 6%; a Amazon teve alta de 1,6%

Mesmo diante da crise causada pela pandemia, Amazon e Facebook registram alta em ações (foto: reprodução)

Enquanto a maioria dos setores enfrentam dias maus e apresentam queda nos rendimentos por conta da pandemia, outras empresas e segmentos veem crescimento financeiro, na quarta-feira(19), enquanto estavam em negociação, o Facebook e a Amazon registraram alta nas ações que chegaram a ser consideradas novos recordes para as empresas.

Atingindo seu novo recorde que chegou a US$ 230,75 por ação e com alta de 6%, o Facebook alavancou seus números logo após informar um novo espaço cedido aos pequenos empresários: o serviço de vendas aos empresários se dará por meio da nova plataforma de vendas tanto no Facebook quanto no Instagram.

O processo de venda da empresas podem migrar para o novo recurso lançado, por meio dessa ferramenta, os empresários criam lojas digitais nas redes sociais, com isso, passam a vender remotamente.

Por enquanto, não foi confirmada a chegada da novidade ao Brasil, mas os Estados Unidos os serviços já estão sendo usados. Quem participará do processo de quase decisão de compra são influenciadores por meio de transmissões ao vivo que, ao notarem que o usuário manifestou interesse em algum produto que está em uma das lojas do Facebook, devem relatar aos patrocinadores quando estiverem realizando lives.

Conquistando um novo recorde, a Amazon teve alta de 1,6% em ações, consequentemente ultrapassou o preço de US$ 2.490 por ação. Durante o ano, os papéis da companhia registraram valorização de 30,4%, dados obtidos até o dia 15 de maio. Por conta da pandemia e com as recomendações de manter o distanciamento social, a varejista online se manteve bem durante a pandemia, resultado disso foi a aumento do compra virtuais.

O índice Nasdaq apagou suas perdas para 2020, o motivo da alteração se deu a partir do desempenho do Facebook, Apple, Amazon, Microsoft e Google, empresas de tecnologias que compõem a sigla FAAMG.