Depósitos bancários crescem por causa da aversão ao risco do investidor

Crise provocada pelo novo coronavírus faz investidores se refugiarem nos bancos

A crise econômica provocada pelo novo coronavírus levou os investidores a se refugiarem nos bancos em busca de segurança nesse momento incerto. De acordo com reportagem do Valor Econômico, as quatro maiores instituições bancárias do país tiveram o maior volume de crescimento de depósitos em seis anos. 

Conforme apurou o Valor, Itaú Unibanco, Bradesco, Santander e Banco do Brasil fecharam o primeiro trimestre com um total de depósitos à vista e a prazo de R$ 1,844 trilhão, um crescimento de 10,9% em três meses. Foi o maior salto na série histórica desde março de 2014. 

Ainda segundo o Valor, nos últimos anos, o volume de depósitos não tinha deixado de crescer, mas o CDBs de grandes bancos vinha perdendo espaço para ativos mais rentáveis. Porém, segundo o vice-presidente financeiro do Santander Brasil, Angel Santodomingo, com a covid-19 houve uma migração dos investidores para a qualidade, o que beneficiou os instrumentos bancários. 

Já o vice-presidente executivo de finanças do Itaú, Milton Maluhy Filho, destacou que houve um aumento da captação tanto do varejo como do atacado. 

Esse movimento, chamado “flight to quality”, é normal em momentos de instabilidade econômica; no entanto, o que chamou atenção dessa vez foi a intensidade e a velocidade maiores que o habitual.