Confiança da indústria atinge menor patamar da história

O Índice de confiança foi de 34,5 para 34,7 entre abril e maio, permanecendo quase inalterado

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) atingiu o menor patamar da série histórica entre abril e maio deste ano, passando de 34,5 para 34,7 e mantendo-se praticamente inalterado. 

A metodologia da pesquisa usa uma escala que varia de zero a 100 e todo dado abaixo de 50 pontos é negativo – e indica uma falta de confiança no setor. 

Segundo a CNI, essa falta de confiança – devido à contração da atividade econômica e o alto grau de incerteza em razão da pandemia –  contribui para a paralisação dos investimento e dificulta a recuperação da atividade econômica. 

Já a percepção dos empresários em relação às condições atuais das empresas e da economia continuou tendo uma queda e atingiu 25,2 pontos, tendo uma redução de 8,9 pontos em relação a abril. 

Contudo, apesar dos resultados negativos, os empresários estão menos pessimistas quando questionados sobre as expectativas para os próximos seis meses. Neste mês, o índice aumentou para 39,5 pontos – 4,8 pontos a mais que o mês de abril.

Segundo o economista da CNI, Marcelo Azevedo, a alta pode ser atribuída a uma revisão das expectativas, passado o susto inicial com a pandemia.