Pesquisa aponta crescimento de serviços de delivery

A pesquisa foi realiza pelo OnYou, uma das maiores empresas de clientes ocultos do Brasil

Em tempo de pandemia, delivery tem sido melhor opção para brasileiros (foto: reprodução)

Por conta do período de quarentena causada pela pandemia do novo coronavírus, diversos brasileiros, quando se trata de comida, optaram pelo delivery, que mesmo gerando gasto extra, por vezes, é mais prático e menos trabalhoso.

De acordo com a pesquisa realizada pelo OnYou, uma das maiores empresas de clientes oculto do Brasil, quem reside em São Paulo, por exemplo, pelo restaurante e suas múltiplas opções de pedidos.

Durante a pandemia, o consumidor tem sido mais assíduo com pedidos em geral. A empresa fez análise sobre o comportamento desse cliente durante esse período.

Segundo o sócio-fundador e CEO da companhia, José Worcman, o objetivo é entender como funciona o delivery no Brasil e suas características no país.

Worcman ressalta que a ação primordial da pesquisa é no segmento de varejo e food service. A companhia tem clientes como Bacio di Latte, Casa Bauducco, Le Jazz Brasserie, Ofner, St Marche e Habbib’s.

Pesquisa via formulário

A pesquisa se deu por meio de formulários disponíveis na internet, realizada em todo país, mas os resultados foram baseados, especificamente (41% das respostas), com moradores de algumas cidades de São Paulo. Foram analisadas 3.950 respostas com respostas de 1.620 moradores.

As categorias classificavam moradores com faixa de renda familiar de menos de R$ 1.000 (6%) a mais de R$ 12.000 (8%). Foram avaliadas, em sua maioria, respostas de famílias que recebem entre R$ 1.000 a R$ 3.000 (29%) e de R$ 3.000 a R$ 5.000 (26%).

Farmácias e supermercados

Além de pedidos feitos em restaurantes, outros setores identificaram maior número de pedidos, entre eles as farmácias, com 32%, em seguida, com 29% vêm os supermercados.

Vale lembrar que os pedidos de bebidas também aumentaram, sua porcentagem chegou a 14%. Num período quinzenal, cerca de 43% dos entrevistados usaram os serviços delivery num intervalo de uma a três vezes, enquanto 33% realizaram pedidos de quatro a seis vezes.

As empresas e clientes estão buscando as melhoras formas de prevenção e, com isso, algumas opções vêm sendo mais utilizadas durante esse período. O uso do app disparou, para evitar contato físico, 70% dos pedidos são feitos via aplicativo. A opção também evita manuseio de dinheiro ou cartões. 49% usam máscaras, 47% não abrem mão da limpeza com álcool em gel e 42% optam pelo pedido deixado na portaria dos edifícios.

iFood, WhatsApp, Uber Eats e Rappi

Dos representantes de entregas alguns receberam mais pedidos que outros, entre eles estão o iFood, usado por 69% dos entrevistados, o WhatsApp também foi um meio de pedido, com 55% dos clientes solicitando entrega via aplicativo. Logo após estão o Uber Eats, com 35% dos pedidos e a Rappi,com 16% dos pedidos.

O delivery, no fim das contas, tem um intermediário e não está 100% nas mãos do estabelecimento que fornece a comida. O cliente quer saber do restaurante, como ele está entregando essa experiência como um todo. Pelo número e e frequência de pedidos, aparentemente o consumidor mostra-se satisfeito, finaliza Worcman.