Maratona digital desafia participantes a achar soluções para a pandemia

A iniciativa partiu do Centro Paula Souza, em São Paulo

Hackatrouble desafiou pessoas a criarem soluções para a Covid-19 (foto: reprodução)

Aconteceu na quinta-feira (16), em São Paulo, a HackaTrouble, uma maratona de programação mais conhecida como hackathon e teve como iniciativa o mesmo propósito que junta todos os continentes, atualmente, a busca para combater a Covid-19.

A iniciativa foi realizada pelo Centro Paula Souza que é voltado à educação tecnológica no estado de São Paulo.

O instituto desafiou os interessados, num prazo de dois dias, criarem possíveis soluções tecnológicas contra o novo coronavírus. O perfil desejado – mas não obrigatório – foi voltado a estudantes e ex-alunos das Etecs e Fatecs, educadores, programadores, desenvolvedores, empreendedores, designer e outros.

O requisito era ter mais de 18 anos. Os participantes dividiram-se em trios ou equipes compostas por até cinco pessoas. Todos eles tiveram acompanhamento de especialistas. A Assessoria de Inovação do Centro Paula Souza orientou, por meio de professores e profissionais do mercado todos os participantes envolvidos.

Todas as propostas levantadas durante as provas serão avaliadas pelo comitê de jurados qualificados. Por fim, as ideias mais preparadas e com maior possibilidade de solução serão desenvolvidas por seus criadores e contarão com o apoio de parceiros no período de quatro meses. Os participantes com as melhores ideias serão premiados e contribuirão positivamente com a sociedade.