Brasil terá safra recorde de mais de 245 milhões de toneladas

A safra brasileira de soja deve alcançar 120,7 milhões de toneladas

Safra agrícola deve chegar a 246,7 milhões e bater recorde em meio à pandemia (foto: reprodução)

Com o período de pandemia do novo coronavírus, vários setores sentiram o impacto e, consequentemente, os resultados vêm sendo negativos para muitos deles. Mas a safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas ainda mantem a expectativa acima do esperado. A safra brasileira sofreu reajuste na última quinta-feira (9).

Mesmo diante de um cenário duvidoso, espera-se do setor uma produção recorde e 245,2 milhões de toneladas, uma queda de 1,6% em relação ao levantamento anterior. Estas informações são baseadas nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mais de 64 milhão de hectares

Houve um aumento de 1,1 milhão de hectares, o que representa um crescimento de 1,7% da área colhida em 2019. Para o ano, será 64,3 milhões de hectares de área colhida. O setor poderia ter ido além, mas um fator que contribui para o maior avanço foi a seca que viveu o Rio Grande do Sul, um dos principais produtores do grão no país. De acordo com IBGE, esse foi um fator relevante e causou graves prejuízos.

O esperado é bater o recorde já existente, de 117,9 milhões, desta vez, a safra brasileira de soja deve alcançar 120,7 milhões de toneladas. Vale lembrar que existem análises diferentes da produção da safra; enquanto o IBGE considera o prazo de 12 meses, o levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que considera o calendário com início em julho de um ano e término no mesmo mês do ano seguinte.

Safra de arroz

Já para a safra de arroz, segundo o IBGE, estima-se colher de 10,6 milhões de toneladas, com aumento de 3,6% comparado ao ano passado. Com alcance nacional de mais 80%, Rio Grande do Sul (+2,5% ou 185,1 mil toneladas) e Santa Catarina (+5,8% ou 62,1 mil toneladas), que tiveram reavaliações da produção mais importantes.