Empresas buscam ajuda de bancos e solicitam mais de 2 milhões de renegociações

Estima-se que, até agora, o valores das negociações chegam a R$ 200 bilhões

Estima-se que, até agora, o valores das negociações chegam a R$ 200 bilhões (foto: reprodução)

Os números de casos de pessoas que contraíram o novo coronavírus sobe a cada minuto, o que cresce junto, é o número de renegociações de dívidas. Com a pandemia, os bancos passam a ter maior procura para renegociar valores, atualmente, os cinco maiores bancos do Brasil já receberam mais de 2 milhões de pedidos de renegociação, segundo a Febraban.

Estima-se que, até agora, o valores das negociações chegam a R$ 200 bilhões, informações essas que foram passadas pela Febraban. O prazo de carência dando pelos bancos às instituições gira em torno de 60 a 90 dias, prazo de dois a três meses para o processamento das requisições.

Diante deste cenário e declínio econômico em diversos países, empresas passaram a buscar os bancos para atualizar os pagamentos e sair da “zona de risco”. O esperado é que após essa pandemia, as dívidas sejam, em sua maioria, renegociadas e os bancos diminuam sua lista de devedores.