Startup que oferece suporte emocional cresce durante a quarentena

Plataforma cria conexão entre pessoas que precisam de ajuda com outras que já superaram algo semelhante

Foto: Reprodução

A Eyhe, startup de suporte emocional, decidiu disponibilizar os seus serviços gratuitamente durante a quarentena. Com isso, seus números de atendimentos subirem consideravelmente. A startup é uma plataforma que faz a conexão entre pessoas que precisam de ajuda emocional, com outras que já superaram algo semelhante e estão dispostas a ajudar. 

Leandro Manfroi, proprietário da Eyhe, afirmou que é a startup certa, na hora certa. Para ele, a conexão é só o começo, depois vem a transformação. Ele explica que esse é o ciclo que deseja fortalecer, pessoas ajudando pessoas, de forma humana e verdadeira. Quem ajuda é chamado de “anjo” e quem precisa de suporte é chamado de “herói”.

No período de 23 a 28 de março, o número de usuários chegou a 2,5 mil — alta de 2.717,8% —, com 3,1 mil atendimentos — aumento de 1.645,2%. A startup de Pato Branco, no sudoeste do Paraná, conta atualmente com 95 “anjos”, provenientes de diversas regiões brasileiras. O executivo reforça que a Eyhe não é um site de terapia, mas de suporte emocional. 

Manfroi explica que todos os novos “anjos” passam por uma preparação interna. O Eyhe conta com técnicas de Escuta Ativa, que orientam o “anjo” com dicas de como coordenar uma conversa e o que fazer em situações emergenciais. Segundo ele, a startup aproxima pessoas que estão enfrentando situações difíceis de outras que já as venceram.

Após dois anos e meio de operação e muita preparação em programas do Sebrae/PR para startups, o empreendedor acredita que a Eyhe está no caminho certo. A startup também se prepara para o cenário após o término da quarentena e está recebendo inscrições de candidatos a “anjo”. A plataforma da Eyhe pode ser acessada clicando aqui.