Produção da indústria eletroeletrônica cai 7% em fevereiro

Resultados demonstram o impacto causado pela pandemia de covid-19

A Kangu facilita entregas em meio a pandemia (foto: reprodução)

A produção da indústria elétrica e eletrônica caiu 7% no mês de fevereiro de 2020 em relação ao mesmo mês do ano passado. É o que demonstram os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) agregados pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). 

O resultado foi influenciado, principalmente, pela queda de 10,6% na produção de bens eletrônicos, uma vez que a área elétrica registrou retração mais modesta (-3,6%). O presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato, disse que esse desempenho negativo na produção de produtos eletrônicos já era esperado devido ao impacto do novo coronavírus.

Segundo ele, os fabricantes de produtos de Tecnologia da Informação — celulares, computadores, entre outros — foram os primeiros a serem afetados pelo covid-19, em função de problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos provenientes da China, quando o surto estava concentrado apenas no país asiático. 

Os dados de produção física do IBGE mostraram redução na produção de bens eletrônicos, tais como: equipamentos de comunicação (-19,3%), de bens de informática (-10,5%), aparelhos de áudio e vídeo (-12,1%) e instrumentos de medida (-3,4%). Por outro lado, a produção de componentes eletrônicos cresceu 23%. 

Na área elétrica, a retração observada sofreu influência da queda na produção de lâmpada (-13,8%), de geradores, transformadores e motores (-8,7%) de pilhas e baterias (-7,6%), e de outros equipamentos elétricos não especificados anteriormente (-16,5%).

No acumulado de janeiro e fevereiro de 2020, a produção industrial do setor eletroeletrônico recuou 1,3%. O resultado decorre da retração de 3% da área eletrônica e da elevação de 0,5% da área elétrica.